Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 17 de Julho de 2019 às 08h00

Cresce investimento no combate ao câncer no Amazonas

O Governo do Estado ampliou os investimentos para o combate ao câncer no Amazonas, no primeiro semestre deste ano, destinando mais de R$ 40,1 milhões à Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), 20% a mais que em 2018. É o maior volume de recursos aplicado na instituição nos últimos nove anos.

Na prática, os valores foram revertidos à compra de quimioterápicos de alto custo, aquisição de insumos e manutenção geral da unidade, que é referência em cancerologia na Amazônia Ocidental.

O investimento também cresceu nas demais fundações neste primeiro semestre de 2019, em comparação com o mesmo período de 2018. No total, o Governo do Estado aplicou nas seis unidades, entre janeiro e junho, R$ 175,8 milhões ? R$ 15 milhões a mais que os R$ 160,8 milhões investidos nos seis primeiros meses do ano passado.

Além dos R$ 175,8 milhões em pagamentos, há ainda R$ 78,3 milhões já empenhados pela atual gestão para custear despesas das fundações.

Na FCecon, além dos R$ 40 milhões já injetados, outros R$ 30,8 milhões estão empenhados, para garantir um planejamento eficaz à renovação do estoque, continuidade de cirurgias e atendimentos em radioterapia, além do funcionamento de outros setores considerados essenciais na estrutura hospitalar.

?Entendemos que a Política de Atenção Oncológica deve ser prioridade, pois o Amazonas se tornou, há alguns anos, um estado polo para pacientes de toda a região Norte, e tem acolhido inclusive pessoas de outros países. Recebemos a unidade desabastecida, e nosso esforço é no sentido de ampliar, cada vez mais, a oferta de vagas, pois o câncer não pode esperar?, frisou o governador Wilson Lima.

São aproximadamente R$ 71 milhões em empenhos para gastos programados do hospital que, além da área assistencial, tem como um dos braços fortes, o Ensino e Pesquisa.

?Trabalhamos para garantir que nossas pesquisas avancem e para viabilizar a inserção de acadêmicos nessa área, por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic). É uma forma de estimular a comunidade a participar e se interessar pela oncologia?, explicou o diretor-presidente da FCecon, mastologista Gerson Mourão.

Outras medidas para a manutenção e ampliação da oferta de atendimento já foram adotadas, como mudanças no fluxo dos serviços ambulatoriais e melhor controle no setor de Farmácia, por meio do uso racional de quimioterápicos.

Fonte: Amazonas Notícias

Veja também

Asas do Bem: parceria com empresas aéreas leva vida a todos os cantos do Brasil09/09/19 Entre chegadas e partidas, as companhias aéreas tornam-se essenciais na corrida contra o tempo de quem precisa de um transplante Quando uma família diz ?sim? para a doação dos órgãos de um ente querido que acaba de falecer, centenas de pessoas começam a trabalhar para salvar vidas! É depois desse sim que as equipes de saúde se preparam para retirar os órgãos que serão doados a quem espera por um transplante. Ao......
Hábitos saudáveis poderiam evitar 27% dos casos de câncer no Brasil26/04/19 Maria Fernanda Ziegler  |  Agência FAPESP ? Tabagismo, consumo de álcool, excesso de peso, alimentação não saudável e falta de atividade física são os fatores de risco associados a um terço das mortes causadas por 20 tipos de câncer no Brasil, segundo um novo......
Sistema de notificação é apresentado a farmacêuticos30/04/19 Tema foi abordado durante uma mesa-redonda do I Congresso de Ciências Farmacêuticas do Centro-Oeste, em Brasília. A Anvisa apresentou, na última sexta-feira (26/4), o novo sistema de notificação de eventos adversos relacionados a medicamentos (VigiMed),......

Voltar para Notícias