Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 26 de Abril de 2019 às 08h44

Dia Nacional da Hipertensão: conheça 5 fatos sobre a doença

Nesta sexta-feira (26) é celebrado o Dia Nacional do Combate à Hipertensão, mal que afeta 36 milhões de brasileiros, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Frequentemente negligenciada, a hipertensão é uma doença silenciosa: a maior parte dos pacientes não apresenta sintomas até que um órgão, como coração, cérebro ou rim, seja lesionado.

O que muita gente não sabe é que a pressão alta, se não for tratada da forma correta, pode reduzir a expectativa de vida em até cinco anos e pode ter como consequência outras doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essas enfermidades representam a principal causa de morte no mundo, por isso a conscientização é imprescindível. A gerente médica de Cardiometabolismo da Sandoz ? empresa do Grupo Novartis, Luciana Abrahão, comenta fatos importantes sobre a hipertensão. Acompanhe:

1. A pressão alta é uma doença comum e altamente negligenciada
Dados do Ministério da Saúde apontam que 25% das pessoas diagnosticadas com hipertensão não aderem ao tratamento corretamente. O Brasil, em particular, tem vivenciado a ocorrência precoce do problema. ?A maior parte dos hipertensos não adota hábitos saudáveis, tais como a prática de atividade física e uma dieta pobre em sal, o que agrava o cenário?, comenta Luciana Abrahão.

2. Quem tem hipertensão corre maior risco de infarto e outras doenças
A pressão alta faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente no corpo. Se não controlada, é fator de risco para infarto do miocárdio, AVC e outras doenças cardiovasculares.

3. Hipertensos podem fazer atividades físicas
A atividade física regular, após avaliação e liberação médica, auxilia no controle da hipertensão arterial. O exercício ajuda na regulação do sistema nervoso simpático, responsável pelo ritmo da respiração e da pressão arterial.

4. A quantidade de sal na alimentação deve ser drasticamente reduzida
O sal contém sódio, uma substância que, em excesso, pode ter como consequência o aumento de pressão. O sódio obriga o corpo a reter mais líquidos, aumentando o volume de fluidos nos vasos sanguíneos. Com o volume aumentado, os vasos se contraem para equilibrar o fluxo. ?Vasos contraídos diminuem a quantidade de sangue circulando no organismo, mas a pressão de bombeamento do coração continua alterada?, explica. Por isso, é importante que hipertensos controlem a ingestão de sal e de alimentos ricos em sódio.

5. Hipertensão não tem cura, mas há tratamento
Hipertensão é definida como a medida da pressão arterial acima de 14 por 9 com o paciente em repouso. É possível controlar a pressão alta com mudanças no estilo de vida e com a administração medicamentos anti-hipertensivos por via oral. É importante frisar, contudo, que a hipertensão arterial essencial, que acomete a maior parte dos indivíduos, não tem cura definitiva: ?É preciso acompanhamento periódico e uso contínuo de medicamentos?, alerta Luciana Abrahão.

Fonte: Guia da Farmácia
Link: https://guiadafarmacia.com.br/dia-nacional-da-hipertensao-conheca-5-fatos-sobre-a-doenca/

Veja também

Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos ganham consulta pública03/06/19 A Consulta Pública 653/2019, que trata da internalização de um conjunto de guias de Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos do Esquema de Cooperação de Inspeção Farmacêutica (Pharmaceutical Inspection Co-operation Scheme), o PIC/s, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (27/5). Os interessados têm 60 dias para o envio das contribuições, a contar da próxima segunda-feira (3/6). É......
No Sindusfarma, Anvisa atualiza empresas sobre piloto da rastreabilidade18/03/19 A convite do Sindusfarma, o assessor da GGMON/Anvisa Cristiano Gregis prestou informações sobre o projeto piloto do sistema de rastreabilidade de medicamentos, baseado em tecnologias de captura, armazenamento e transmissão eletrônica de dados em toda a cadeia......
Pediatra da Fiocruz orienta sobre tratamento da bronquiolite14/05/19 A bronquiolite, inflamação dos bronquíolos (parte final dos brônquios), atinge principalmente os bebês menores de dois anos e é mais comum no inverno. Nos primeiros anos de vida, o sistema imunológico ainda é imaturo, o que torna as crianças mais suscetíveis......

Voltar para Notícias