Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 18 de Junho de 2019 às 08h05

Hiperidrose: oriente sobre tratamentos para produção excessiva de suor

Apesar de benigna, doença pode causar uma série de constrangimentos sociais

Quando esforços físicos são realizados ou em condições de estresse e calor excessivo, o suor é normal, já que é uma resposta do organismo na tentativa de manter a temperatura do corpo equilibrada; porém, 2% da população mundial produz uma quantidade excessiva de suor em áreas concentradas mesmo em repouso, caracterizando a hiperidrose. ?Na hiperidrose, as glândulas sudoríparas dos pacientes são hiperfuncionantes, ou seja, trabalham além do necessário?, explica a dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Dra. Paola Pomerantzeff.

A hiperidrose é benigna, não trazendo males à saúde, mas pode causar uma série de constrangimentos sociais, tornando um simples ato, como o apertar de mãos, em uma situação desagradável. ?A maioria das pessoas que sofrem com hiperidrose são saudáveis, sem patologias associadas, bastando então apenas que o sistema nervoso envie estímulos em excesso às glândulas sudoríparas?, esclarece a Dra. Paola.
De acordo com a especialista, os principais locais do corpo afetados pela condição são as mãos, couro cabeludo e axilas, regiões aparentes ou de grande contato com outras pessoas. Por isso, juntamente com os pés, são as principais queixas das pessoas que procuram o médico devido ao suor excessivo. Mas a boa notícia é que hoje já existem uma série de tratamentos que ajudam a diminuir a produção excessiva de suor causada pela hiperidrose. Entretanto, os tratamentos variam de acordo com o local e a intensidade da doença, sendo assim importante consultar um dermatologista para que a melhor intervenção. ?Para casos leves, por exemplo, a utilização de antitranspirantes à base de cloreto de alumínio pode ser suficiente. O uso de roupas de algodão é outra recomendação nestes casos, visto que o tecido permite que a pele respire adequadamente?, sinaliza a médica.

Em casos mais graves, quando a doença incomoda a ponto de interferir na qualidade de vida do paciente, pode-se recorrer a aplicação de toxina botulínica, que bloqueia perifericamente a secreção das glândulas sudoríparas na região em que é aplicada. ?Essa aplicação pode ser realizada em áreas onde a concentração de suor é muito grande, como a testa, o couro cabeludo, as axilas, mãos e pés. Sua duração varia de oito a dez meses?, destaca a Dra. Paola Pomerantzeff. ?Outra alternativa é a simpatectomia, cirurgia torácica em que a inervação simpática é interrompida. Porém, essa cirurgia é cada vez menos realizada pois apresenta risco de complicações, como o risco de hiperidrose compensatória, onde outro local passa a apresentar hiperidrose após a cirurgia. Por exemplo, se a hiperidrose era axilar, ela passa a ocorrer nas mãos ou no abdômen após a cirurgia?, alerta.

Fonte: Guia da Farmácia
Link: https://guiadafarmacia.com.br/hiperidrose-oriente-sobre-tratamentos-para-producao-excessiva-de-suor/

Veja também

Serviços clínicos nas farmácias apresentam crescimento de 62%29/08/19 No primeiro semestre de 2019, o número de consultas nos serviços clínicos cresceu 62% em relação ao mesmo período do ano passado Após o lançamento do programa da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o Assistência Farmacêutica Avançada, em 2014, as salas clínicas vêm registrando um crescimento exponencial. Só no primeiro semestre de 2019, o número de consultas para serviços......
Aumenta o consumo de medicamentos para transtornos mentais entre jovens18/03/19 Recente estudo de mercado divulgou dados que confirmam e aumentam a preocupação em relação a um fenômeno que se acentua: os transtornos mentais, principalmente a depressão e a ansiedade, que vêm crescendo entre a população jovem em todo o mundo, revelam-se......
Médicos recorrem à tecnologia para aliviar a dor de pacientes02/04/19 Tratamentos que unem técnicas modernas com medicamento prometem reduzir incômodos, e podem ser encontrados em hospitais públicos e clínicas particulares Rio - Sentir dor não é normal. E para alcançar o alívio, ou até mesmo cessar esses incômodos, pacientes......

Voltar para Notícias