Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 13 de Junho de 2019 às 09h20

Recall de medicamentos para hipertensão: saiba o que fazer

Oriente os pacientes que usam princípios ativos do tipo "sartanas"

Autoridades sanitárias do mundo todo estão avaliando os medicamentos para hipertensão arterial com princípios ativos do tipo ?sartanas?, tais como valsartana, losartana, entre outros. A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) identificou a presença de impurezas nitrosaminas, como a N-nitrosodimetilamina (NDMA) e a N-nitrosodietilamina (NDEA), no princípio ativo valsartana produzido por uma empresa chinesa, o que ocasionou um recolhimento em escala global dos lotes afetados.

As nitrosaminas estão presentes em alimentos naturais, processados e até na água, em quantidades ínfimas que não representam risco à saúde. A exposição a longo prazo estaria associada a um aumento da probabilidade de desenvolvimento de câncer. ?Esse controle é fundamental para garantir a segurança dos pacientes. Existem medicamentos de mesmo valor terapêutico disponíveis no mercado que não foram impactados pelo recall?, alerta o diretor do Hospital Dia do Incor e Coordenador do Projeto de IC da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Múcio Oliveira. O especialista também ressalta que é importante que o paciente verifique se o medicamento está na lista de recolhimento.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está seguindo os protocolos de recolhimento de lotes específicos dos medicamentos par hipertensão afetados, uma estratégia alinhada internacionalmente. A Agência também aprovou recentemente um novo regulamento sobre este tipo de impurezas, assegurando um controle sanitário adequado. A relação de fabricantes impactados pelo recall está disponível no site da Anvisa, por meio do link: http://bit.ly/2Vxx73O2.

Pacientes em tratamento com medicamentos para hipertensão: o que fazer?
Pacientes devem conferir no site da Anvisa a lista de medicamentos para hipertensão que estão sendo recolhidos, verificando nome, fabricante e lote (impresso na caixa). Mesmo que o produto esteja entre os relacionados, a agência orienta a não interromper o tratamento, mas conversar com o farmacêutico e o médico para providenciar a troca por um de valor terapêutico igual.

Dados alarmantes sobre a hipertensão
A hipertensão é uma doença crônica comum e altamente negligenciada. Se não for tratada da forma correta, pode reduzir a expectativa de vida em até cinco anos e ocasionar outras doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC) ? segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essas enfermidades representam a principal causa de morte no mundo.

O Brasil, em particular, tem vivenciado a ocorrência precoce do problema, que atinge 36 milhões de pessoas. A valsartana, fármaco anti-hipertensivo oral, patenteado no mercado norte-americano na década de 1990 pela Novartis, funciona como bloqueador seletivo do receptor da angiotensina II (ARB), que relaxa os vasos sanguíneos e, consequentemente, reduz a pressão arterial.

Fonte: Guia da Farmácia
Link: https://guiadafarmacia.com.br/recall-de-medicamentos-para-hipertensao-saiba-o-que-fazer/

Veja também

O efeito do acordo de livre-comércio nos medicamentos genéricos09/07/19 As exigências da União Europeia para o acordo podem prejudicar a produção de medicamentos genéricos no Brasil Apesar das inegáveis vantagens, o acordo de livre comércio do Mercado Comum do Sul (Mercosul) com a União Europeia (UE) pode prejudicar a produção de medicamentos genéricos no Brasil. Isso porque a UE almeja que os integrantes do Mercosul se comprometam a só quebrar patentes cinco anos após o registro do......
Startup capta R$ 1,5 mi após lançar remédio digital17/04/19 Fundada em 2015, a Bright Photomedicine combinou soluções de big data, inteligência artificial, física e medicina para desenvolver o primeiro remédio digital do mundo. A inovação permitiu que a empresa captasse R$ 1,5 milhão por meio da Kria, plataforma......
10 razões para não misturar bebidas alcoólicas com medicamentos10/05/19 CRF-SP faz alerta sobre os riscos que essa perigosa combinação pode acarretar Durante um tratamento de saúde, são muitos os que ficam com dúvidas que envolvem o uso de um determinado medicamento junto com bebidas alcoólicas. Neste cenário, o Conselho......

Voltar para Notícias