Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 14 de Março de 2019 às 11h36

Sutilezas letais: os sintomas menos conhecidos do infarto

Dor e aperto no peito que irradiam para o braço esquerdo e pescoço são os sintomas mais comuns e conhecidos de um infarto do miocárdio, popularmente chamado de ataque do coração. Quando esses sinais se manifestam, quase todo mundo sabe que é preciso buscar socorro médico imediatamente.

No entanto, poucos conhecem a existência de outros sintomas, mais sutis, que também podem indicar a iminência ou início de um acidente cardiovascular. Falta de ar, cansaço, azia e dor na mandíbula estão entre eles.

O problema dessas manifestações, em especial quando uma ocorre isoladamente, é que as pessoas não a associam ao infarto. Costuma-se achar que um analgésico ou antiácido resolverá a situação.

Por isso, é importante a conscientização sobre a necessidade de também procurar atendimento médico nesses casos. Não vale a pena correr o risco de subestimar as reações do organismo. Afinal, metade das mortes por ataque cardíaco acontece nas primeiras horas depois dos sintomas iniciais.

Quanto mais rápido for o socorro, maiores as chances de sobrevivência e menor a probabilidade de sequelas.

Adotar uma providência com agilidade é importante para preservar vidas. Quando se trata do coração, é muito melhor pecar pelo excesso de cuidado, porque a negligência no socorro pode ser letal.

*Dr. Ricardo Pavanello, membro da Diretoria da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

Fonte: Saúde Abril
Link: https://saude.abril.com.br/blog/guenta-coracao/sutilezas-letais-os-sintomas-menos-conhecidos-do-infarto/

Veja também

Tratamento de câncer de próstata deve focar paciente03/04/19 Médico oncologista, Fernando Maluf diz que as abordagens mais atualizadas têm um refinamento em relação às técnicas utilizadas nos últimos anos e colocam como proposta que o tratamento se adapte ao paciente, e não o contrário Os novos estudos que abordam o câncer em órgãos genitais e urinários, especialmente de próstata e rim, apontam uma tendência a buscar a combinação de terapias, o tratamento personalizado e......
Anvisa aprova novo medicamento de ação prolongada para esquizofrenia06/05/19 Tratamento é o primeiro administrado em apenas quatro aplicações ao ano A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de aprovar um novo medicamento para esquizofrenia, desenvolvido pela Janssen, empresa farmacêutica da família de companhias......
OMS: crianças devem ter tempo em frente a telas limitado a 1 hora25/04/19 A Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou, nesta quarta-feira (24), um estudo que diz que crianças de até 4 anos devem passar, no máximo, uma hora em frente a telas de forma sedentária, como assistir TV ou vídeos ou jogar no computador. Para quem tem até......

Voltar para Notícias