Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 10 de Outubro de 2019 às 13h28

Vendas no grande varejo farmacêutico têm alta de 10%

As vendas no varejo farmacêutico cresceram 10% e a comercialização dos MIPs avançou 19,65% no período, totalizando R$ 5,92 bilhões

As vendas no varejo farmacêutico cresceram 10% e a comercialização dos MIPs avançou 19,65% no período, totalizando R$ 5,92 bilhões

O grande varejo farmacêutico nacional, que integra as 25 redes afiliadas à Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), registrou um faturamento de R$ 34,69 bilhões nos oito primeiros meses, índice 10,22% maior que o do mesmo período do ano passado. Dessa forma, o percentual supera o crescimento de 7,86% obtido entre janeiro e agosto de 2018, estimulado principalmente pela venda dos medicamentos isentos de prescrição (MIPs) e pelos chamados não medicamentos ? itens de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPC).

Essa última categoria apresentou alta de 11,28%, de acordo com os dados compilados pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP). Nos oito primeiros meses de 2018, o aumento foi de apenas 7,10%. Os não medicamentos totalizaram 31,84% das vendas do setor. ?A recuperação desse segmento indica uma retomada do consumo pela classe média, que estava estagnado nos últimos anos por causa do cenário de recessão?, comenta o CEO da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

Já a comercialização dos MIPs avançou 19,65% no período, totalizando R$ 5,92 bilhões. A venda geral de medicamentos chegou a R$ 23,64 bilhões, um incremento de 9,73% em relação ao período entre janeiro e agosto do ano passado. Já os genéricos movimentaram R$ 3,93 bilhões e registraram uma evolução de 8,03%.

Ao todo, mais de 1,75 bilhão de unidades foram comercializadas e o volume de atendimentos ultrapassou 640 milhões.

Além disso, o número de funcionários e colaboradores nas farmácias passou de 126 mil para 131 mil, dos quais 24 mil são farmacêuticos. Os profissionais estão distribuídos por 7.841 lojas em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal.

Fonte: Jornal Indústria e Comércio

Veja também

No 1º bimestre do ano, 54% da indústria apresentou queda08/04/19 O primeiro bimestre deste ano foi de retrocesso para mais da metade (54%) dos segmentos industriais do País. Mas a situação é ainda pior para setores como o de calçados e o têxtil, que acumulam perdas pelo menos desde outubro. Segundo representantes desses segmentos, a explicação para a queda na produção é simples: não há demanda. Até agora, no entanto, a trajetória mais preocupante é a dos fabricantes de bens......
Hábitos saudáveis poderiam evitar 27% dos casos de câncer no Brasil26/04/19 Maria Fernanda Ziegler  |  Agência FAPESP ? Tabagismo, consumo de álcool, excesso de peso, alimentação não saudável e falta de atividade física são os fatores de risco associados a um terço das mortes causadas por 20 tipos de câncer no Brasil, segundo um novo......
Especialista enfatiza prioridade na regulamentação da telemedicina28/05/19 A telemedicina muda o modelo de negócio, a remuneração e toda a cadeia da saúde. 2019 é o ano da virada. Estima-se que de 20 a 25% das consultas serão feitas remotamente nos próximos 5 anos. A preocupação desse ano é resolver a questão da consulta remota,......

Voltar para Notícias