Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 08 de Julho de 2019 às 08h08

Brasil consome 56,6 milhões de caixas de calmantes e soníferos

Em 2018, vendeu-se o equivalente a 1,4 bilhão de comprimidos de apenas oito princípios ativos

Os brasileiros compraram, em 2018, mais de 56,6 milhões de caixas de medicamentos calmantes e soníferos. Sendo assim, mais de 6 mil caixas vendidas por hora ou, aproximadamente, 1,4 bilhão de comprimidos em um ano.

Os números são do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC) junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os oito princípios ativos para ansiedade e insônia, que estão entre os mais receitados pelos médicos são:

Alprazolam
Bromazepam
Clonazepam
Diazepam
Lorazepam
Flunitrazepam
Midazolam
Zolpidem

Os números se referem apenas ao que foi vendido em farmácias e drogarias de natureza privada entre 2011 e 2018. Em oito anos, as vendas desses oito medicamentos somaram mais de 505 milhões de caixas.

Pico de consumo de medicamentos calmantes e soníferos em 2015
O ano de 2015 registrou recorde de consumo, com 76,2 milhões de caixas vendidas ? excluindo o zolpidem, foram 70,8 milhões de caixas de ansiolíticos.

Para o psiquiatra e diretor dos ambulatórios do Instituto de Psiquiatria (Ipq) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), Rodrigo Martins Leite, mesmo que o consumo atual tenha caído em relação a 2015, o número divulgado pela Anvisa ainda é significativo.

O médico, que foi coordenador municipal de Saúde Mental em São Paulo, em 2017, relaciona o aumento das vendas de psicotrópicos em 2015 ao início da crise econômica que o Brasil enfrentou. Ou seja, o aumento do desemprego e problemas decorrentes disso mexem com a estabilidade emocional da população.

Para Leite, ?os momentos sociais ruins fazem com que as pessoas também tenham uma percepção pior da saúde mental?. O medicamento, diz ele, ?é a saída mais rápida?.

Não há pesquisas oficiais recentes no Brasil que possam estimar quantos brasileiros fazem uso contínuo de calmantes e soníferos.

Estudos anteriores a 2013 calculavam que entre 5,6% e 21% da população brasileira fizesse uso de benzodiazepínicos, sendo mais frequente em mulheres e idosos, segundo a Associação Médica Brasileira (AMB).

Fonte: www.r7.com

Veja também

Inca convoca doadores de medula óssea para atualizar dados cadastrais25/09/19 Doadores de medula óssea cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) estão sendo convocados pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) para atualizar seu cadastro. ?As pessoas mudam de endereço, de telefone, e é comum não lembrarem de atualizar os dados no Redome?, disse hoje (24) o diretor do Centro de Transplante de Medula Óssea do Inca (Cemo), Décio......
Conheça a importância da vitamina D para a saúde da mulher09/04/19 Nutriente tem ação preventiva desde a infância até o fim da vida fértil A vitamina D é um pró-hormônio relevante em importantes fases da saúde da mulher. Essencial para um crescimento saudável na infância, dado que previne o raquitismo; na adolescência, o......
França alerta sobre uso de ibuprofeno e cetoprofeno22/04/19 A Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde (ANSM) da França fez uma advertência sobre os riscos do uso das substâncias ibuprofeno e cetoprofeno ? medicamentos com função analgésica, antitérmica e anti-inflamatória muito usados no......

Voltar para Notícias