Quero ser cliente
Central de Vendas 0800 707 4774 ou 54 3544 1800
Postado em 13 de Março de 2019 às 14h07

Estudo internacional aponta novos benefícios da VITAMINA D

Nutriente também pode ser usado como protetor entre crianças asmáticas obesas

Um novo estudo descobriu que a vitamina D pode ser protetora entre crianças asmáticas obesas que vivem em ambientes urbanos com alta poluição do ar em ambientes fechados. A pesquisa, da Escola de Medicina da John Hopkins University e financiada pelo Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental (NIEHS), foi publicada no Journal of Allergy e Clinical Immunology (Jornal de Alergia e Imunologia Clínica).
?A equipe do estudo identificou muitos fatores que tornam as crianças suscetíveis a problemas de saúde causados ??pela poluição do ar em toda a cidade de Baltimore?, explicou a administradora do programa de centros de pesquisa de saúde ambiental infantil do NIEHS, Kimberly Gray.
De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, uma em cada 12 crianças nos EUA sofre de asma, o que totaliza 6,1 milhões de crianças no país. Além disso, a asma afeta desproporcionalmente as populações de minorias urbanas, como as crianças negras. A maior poluição do ar em ambientes fechados, proveniente de fontes como fumaça de cigarro, cozimento, queima de velas e incenso, está ligada a maiores problemas respiratórios, incluindo o agravamento dos sintomas da asma e mais visitas hospitalares. ?Em estudos científicos anteriores, percebemos que a vitamina D era uma molécula que pode influenciar a asma, afetando as vias antioxidantes ou relacionadas com o sistema imunológico?, afirmou o principal autor do estudo, Sonali Bose.

Conclusões do estudo sobre a vitamina D
Bose explicou que, no momento em que o estudo estava sendo concebido, os pesquisadores observavam deficiências de vitamina D nos EUA. ?Ficou muito claro que os afro-americanos estavam em maior risco de deficiência desta vitamina, particularmente crianças negras?, disse ela. ?Também percebíamos um fardo pesado de asma em crianças pertencentes a minorias do centro da cidade. Parecia que a deficiência de vitamina D e a asma eram coincidentes e interagiam de alguma forma.?

No geral, eles descobriram que ter níveis baixos de vitamina D no sangue estava relacionado aos efeitos respiratórios prejudiciais da poluição do ar em ambientes fechados entre crianças obesas com asma. Por outro lado, nos lares que tiveram a maior poluição do ar em ambientes fechados, os níveis mais elevados de vitamina D no sangue foram associados a menos sintomas de asma em crianças obesas.

O estudo indica que a maneira de aumentar os níveis de vitamina D no sangue é aumentar a exposição ao sol, mas isso nem sempre é possível em ambientes urbanos, ou em pessoas com pigmentação da pele mais escura. Assim, outra opção é a complementação via suplementos alimentares, ou com a ingestão de alimentos que são ricos neste nutriente, como peixes gordurosos, cogumelos ou alimentos fortificados com vitamina D, como pão, suco de laranja ou leite.

Fonte: Guia da Farmácia - (https://guiadafarmacia.com.br/estudo-internacional-aponta-novos-beneficios-da-vitamina-d/)

Veja também

Vendas de genéricos crescem 6,3% no primeiro semestre27/08/19 Economia proporcionada pela venda de genéricos bate a marca de R$ 138 bilhões em 20 anos. De cada dez medicamentos prescritos no País, seis são genéricos A indústria de medicamentos genéricos registrou crescimento de 6,29% no número de unidades vendidas nos primeiros seis meses deste ano no comparativo com igual período de 2018. No total, foram comercializadas mais de 700 milhões de unidades no semestre, de......
Estilo de vida é fator determinante para manter a saúde do coração29/03/19 A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 80% das mortes por doenças cardíacas no mundo seriam evitadas apenas com mudanças no estilo de vida. “Tirando as doenças congênitas, os outros males que acometem o coração e podem culminar em insuficiência......
Cresce investimento no combate ao câncer no Amazonas17/07/19 O Governo do Estado ampliou os investimentos para o combate ao câncer no Amazonas, no primeiro semestre deste ano, destinando mais de R$ 40,1 milhões à Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), 20% a mais que em 2018. É o maior volume de......

Voltar para Notícias